Entretenimento

Análise: Por que os filmes de super-heróis tiveram um ano ruim?


Análise: Por que os filmes de super-heróis tiveram um ano ruim?
(Foto Reprodução da Internet)

O filme “Aquaman 2: O Reino Perdido” ainda não foi lançado, mas a sequência da DC pode enfrentar águas turbulentas para atingir o sucesso de seu antecessor.

Quaisquer que sejam os resultados desse filme, no entanto, nada foi mais chocante para os grandes estúdios em 2023 do que o péssimo ano para os filmes de super-heróis. Com um desempenho coletivo tão ruim que poderia ser comparado ao Super-Homem enfrentando criptonita.

Olhando para trás, o lançamento de “Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania”, em fevereiro, teve resultados decepcionantes e revelou uma falha surpreendente na estratégia da Marvel. Desde então, os filmes baseados nos personagens da DC, como “The Flash” e “Besouro Azul”, também não alcançaram as expectativas.

O grande impacto ocorreu em novembro com o filme “As Marvels”, que era a continuação do sucesso “Capitã Marvel” de 2019. Infelizmente, ele arrecadou apenas US$ 84 milhões nos Estados Unidos, menos de um quinto do valor alcançado pelo primeiro filme. Esse foi o primeiro filme da Marvel a ganhar menos de US$ 100 milhões em sua estreia nacional.

Apenas o terceiro filme de “Guardiões da Galáxia” foi um sucesso para a Marvel e a DC, arrecadando quase US$ 850 milhões globalmente. Também vale mencionar o filme animado “Homem-Aranha: Através do Aranhaverso”.

O que aconteceu? Como muitas vezes ocorre, vários fatores parecem ter contribuído, mas a forma como as pessoas costumavam aproveitar filmes desse gênero no cinema mudou de repente.

Além disso, esses filmes demoram muito para serem feitos e ainda não é possível produzi-los de forma barata devido à necessidade de efeitos digitais. Portanto, qualquer modificação levará um tempo considerável.

A pandemia do coronavírus fez com que muitas pessoas preferissem ver filmes em casa em vez de nos cinemas. Elas não se preocupam com spoilers e não se importam em assistir ao filme depois do lançamento.

Se Hollywood não tinha controle sobre essa questão, muitas das outras decisões que enfraqueceram essas franquias de quadrinhos podem ser atribuídas. Um exemplo é encomendar várias séries para aumentar a base de assinantes de serviços de streaming como Disney+ e Max.

Até o CEO da Disney, Bob Iger, admitiu que havia “muitas” séries desse universo sendo produzidas, reduzindo o calibre do lançamento de filmes.

Apesar de provavelmente haver muitos filmes ruins, parece que esse não é o problema com produções como “The Flash”. O público não rejeitou o filme, mas ele simplesmente não foi tão lucrativo como essas produções exigem.

As atuais questões legais do astro Ezra Miller provavelmente não o beneficiaram, assim como as que Jonathan Majors, o vilão de “Homem-Formiga”, está enfrentando. Ele foi condenado por agressão e assédio de uma ex-namorada, o que representa um obstáculo em relação ao seu papel crucial na próxima fase da Marvel.

Os filmes de super-heróis tiveram seu momento de maior sucesso em 2019, especialmente com o lançamento do filme “Vingadores: O Ultimato”, antes da pandemia. Esses números são difíceis de alcançar novamente, mesmo nas melhores situações.

“Vigadores: Guerra Infinita” e “Pantera Negra” também foram grandes sucessos, com o último ganhando uma indicação ao Oscar. Enquanto a DC desfrutou de seus melhores resultados de bilheteria com “Aquaman” em 2018, arrecandando US$ 1,15 bilhão globalmente.

Independente das causas, depois de confiarem nos filmes de super-heróis como base de bilheteira, os grandes estúdios enfrentam escolhas difíceis a serem feitas, à medida que as suas vacas leiteiras parecem inesperadamente vulneráveis.

Filmes como “Barbie” e “Avatar 2” mostram que as pessoas ainda gostam de assistir a lançamentos no cinema. No entanto, a Marvel e a DC têm um grande desafio pela frente.


🔥 Recomendado para voçê 🔥