Brasil

Deputados da base de Lula solicitam impeachment de Dino por suas conexões com agendas relacionadas ao tráfico


Deputados da base de Lula solicitam impeachment de Dino por suas conexões com agendas relacionadas ao tráfico
(Foto Reprodução da Internet)

Um grupo de 45 deputados da oposição na Câmara Federal planeja protocolar um pedido de impeachment de Dino. A iniciativa surge após duas visitas da esposa de Clemilson dos Santos Farias, conhecido como Tio Patinhas e líder do Comando Vermelho, também conhecida como a “dama do tráfico amazonense”, ao gabinete de Dino. O caso foi inicialmente divulgado pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

Do total de parlamentares envolvidos, 12 são filiados a partidos da base do governo Lula (PT), incluindo União Brasil (5), PSD (1), Republicanos (3), PP (1) e MDB (2). Esses partidos, que juntos lideram dez ministérios, geralmente se alinham à oposição e raramente votam em consonância com o Planalto.

Os deputados destacam que a presença de pessoas ligadas ao crime e ao tráfico em um órgão do governo federal é inaceitável. Luciane Barbosa de Farias, condenada a dez anos de prisão por desempenhar um papel essencial na ocultação de valores do tráfico, é acusada de encobrir atividades criminosas enquanto o marido coordenava as negociações do crime. Luciane supostamente adquiria veículos de luxo, imóveis e registrava empresas laranjas para esse fim.

Uma dessas empresas é a Associação Liberdade do Amazonas, criada no ano passado sob a alegação de defender os direitos dos presos. No entanto, um inquérito sigiloso da Polícia Civil do Amazonas sugere que a ONG foi criada pelos criminosos para atender aos seus próprios interesses, com o objetivo real de “perpetuar a existência da facção criminosa e obter capital político para negociações com o Estado”.

Além dos parlamentares de partidos adversários ao governo, o documento também foi assinado por: Sargento Fahur (PSD-PR), Professor Paulo Fernando (Republicanos-DF), Alfredo Gaspar (União-AL), Rosangela Moro (União-SP), Zucco (Republicanos-RS), Messias Donato (Republicanos-ES), Zacharias Calil (União-GO), Coronel Telhada (PP-SP), Coronel Assis (UNIÃO-MT), Delegado Palumbo (MDB-SC), Rodrigo Valadares (UNIÃO-SE) e Pezenti (MDB-SC).

Os deputados em questão pertencem a partidos que ocupam cargos de destaque no primeiro escalão do governo. No caso do União Brasil, Celso Sabino lidera o Ministério do Turismo, enquanto Juscelino Filho está à frente do Ministério das Comunicações. O PSD conta com três ministros: Carlos Fávaro no Ministério da Agricultura, André de Paula na Pesca e Alexandre Silveira em Minas e Energia. O Republicanos e o PP têm um ministério cada, com Silvio Costa Filho responsável pelos Portos e Aeroportos, e André Fufuca no Ministério do Esporte, respectivamente.

O MDB contribui com Renan Filho no Ministério dos Transportes, Simone Tebet no Ministério do Planejamento e Jader Filho no Ministério das Cidades, todos ocupando posições de destaque no primeiro escalão do governo.

Entre os 33 deputados que integram a oposição, a maior parte (28) é do partido do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Novo (2), Patriota (2) e Podemos (1) também tem integrantes entre os signatários.

Entenda o caso

Nesta segunda-feira, uma matéria do jornal “O Estado de S.Paulo” revelou que Luciane Barbosa Farias, conhecida como a “dama do tráfico amazonense”, esteve presente em duas agendas no Ministério da Justiça, com secretários de Dino.

A divulgação levou o nome da facção criminosa e o termo “Ministério da Justiça” aos assuntos mais comentados do X (antigo Twitter), recebendo repúdio de políticos como Nikolas Ferreira (PL-MG) e Sergio Moro (União Brasil-PR).

Em resposta, o ministro da Justiça Flávio Dino (PSB) afirmou que nunca recebeu líderes de facção em seu gabinete. “Nunca recebi, em audiência no Ministério da Justiça, líder de facção criminosa, ou esposa, ou parente, ou vizinho. De modo absurdo, simplesmente inventam a minha presença em uma audiência que NÃO SE REALIZOU em meu gabinete. Sobre a audiência, em outro local, sem o meu conhecimento ou presença, vejam a história verdadeira no Twitter do Elias Vaz (secretário do ministério). Lendo lá, verificarão que não é o que estão dizendo por conta de vil politicagem”, afirmou.

O Secretário de Assuntos Legislativos do Ministério, Elias Vaz, informou que em 14 de março recebeu uma solicitação de audiência da ex-deputada estadual Janira Rocha. Dois dias depois, em 16 de março, Janira teria comparecido ao ministério acompanhada por Luciane. “Ela se limitou a falar sobre supostas irregularidades no sistema penitenciário. Repudio qualquer envolvimento abjeto e politiqueiro do meu nome com atividades criminosas”, afirmou.

Veja quem são os apoiadores:

  • André Fernandes (PL-CE)
  • Sargento Gonçalves (PL-RN)
  • Gilvan da Federal (PL-ES)
  • Paulo Bilynskyj (PL-SP)
  • Sargento Fahur (PSD-PR)
  • Nikolas Ferreira (PL-MG)
  • Amalia Barros (PL-MT)
  • Carlos Jordy (PL-RJ)
  • Alberto Fraga (PL-DF)
  • Roberta Roma (PL-BA)
  • Gustavo Gayer (PL-GO)
  • Professor Paulo Fernando (Republicanos-DF)
  • Alfredo Gaspar (União-AL)
  • Ze Trovão (PL-SC)
  • Gilberto Silva (PL-PB)
  • Marcelo Moraes (PL-RS)
  • Julia Zanatta (PL-SC)
  • Dr. Frederico (Patriota-MG)
  • Giovani Cherini (PL-RS)
  • Sanderson (PL-RS)
  • Rosangela Moro (União-SP)
  • Zucco (Republicanos-RS)
  • Bibo Nunes (PL-RS)
  • Vermelho Maria (PL-PR)
  • Rodolfo Nogueira (PL-MS)
  • Messias Donato (Republicanos-ES)
  • Mauricio Marcon (Podemos-RS)
  • Carla Zambelli (PL-SP)
  • Zacharias Calil (União-GO)
  • Magda Moffato (Patriota-GO)
  • Ramagem (PL-RJ)
  • Pr Marco Feliciano (PL-SP)
  • Eli Borges (PL-TO)
  • Bia Kicis (PL-DF)
  • Filipe Martins (PL-TO)
  • Cel Chrisóstomo (PL-RO)
  • Coronel Telhada (PP-SP)
  • Marcel Van Rattem (Novo-RS)
  • Coronel Assis (UNIÃO-MT)
  • Delegado Palumbo (MDB-SC)
  • Rodrigo Valadares (UNIÃO-SE)
  • Pezenti (MDB-SC)
  • Junio Amaral (PL-MG)
  • Adriana Ventura (NOVO-SP)
  • Coronel Fernanda (PL-MT)

🔥 Recomendado para voçê 🔥