Economia

IBGE diz que o setor de serviços diminuiu 0,6% em outubro


IBGE diz que o setor de serviços diminuiu 0,6% em outubro
(Foto Reprodução da Internet)

O volume de serviços no Brasil caiu inesperadamente em outubro, sendo o terceiro mês consecutivo de queda. Essa redução se deve principalmente às perdas nos setores de transporte e serviços às famílias.

O setor de serviços teve uma queda de 0,6% em outubro na comparação com o mês anterior, o que foi uma surpresa, pois esperava-se que houvesse estabilidade, segundo uma pesquisa da Reuters.

Continua depois da publicidade

Segundo o IBGE, divulgado nesta quarta-feira, o setor teve uma queda de 2,3% nos últimos três meses, o que anula o ganho obtido entre maio e julho. Os dados mostraram ainda que o volume de serviços teve recuo de 0,4% em relação ao mesmo mês do ano anterior, contra expectativa de alta de 0,4%.

Com esses resultados, o setor encontra-se 10,2% acima do nível de fevereiro de 2020 (pré-pandemia) e 3,2% abaixo de dezembro de 2022, quando marcou o ponto mais alto da série histórica.

Continua depois da publicidade

O setor de serviços teve altos e baixos durante o ano. Em alguns momentos, se mostrou resistente em um mercado de trabalho aquecido. Em outros momentos, recuou devido aos juros elevados, o que afetou o consumo.

A taxa básica Selic está em 12,25% ao ano e o Banco Central vai anunciar sua última decisão de política monetária do ano nesta quarta-feira. Há expectativa de um novo corte de 0,5 ponto percentual, o que vai fazer com que os juros ainda fiquem em um patamar alto.

Os dados do IBGE mostram que em outubro o maior impacto sobre o resultado geral foi exercido pela queda de 2,0% em transportes, setor que acumula perda de 4,3% no período entre agosto e outubro.

O transporte de carga diminuiu 2,3%, enquanto o transporte de passageiros aumentou 0,7% em relação ao mês anterior.

“Essa queda nos transportes ? foi muito influenciada pela queda no transporte de cargas, principalmente no transporte rodoviário de cargas”, explicou o analista da pesquisa, Luiz Almeida, atrelando o resultado à expectativa menor da próxima safra agrícola.

“A produção industrial também vem demonstrando menor dinamismo, com uma queda nos bens de consumo e bens de capital, que impactam também no setor de transporte de cargas”, completou.

Os serviços para famílias diminuíram 2,1%, anulando praticamente o aumento de 2,5% do mês anterior. O economista Almeida previa esse resultado, pois o aumento de setembro foi impulsionado por um festival de música em São Paulo, e não houve uma continuação desse crescimento.

Duas outras áreas tiveram aumento nas suas atividades: serviços profissionais, administrativos e complementares tiveram um crescimento de 1,0%, enquanto serviços de informação e comunicação tiveram um crescimento de 0,3%. Em relação às cinco áreas pesquisadas, os serviços em geral permaneceram estáveis em outubro.

O índice de atividades turísticas, por sua vez, teve retração de 1,1% frente a setembro, quando registrou expansão de 1,5%. Com isso, o segmento de turismo está 5,0% acima do patamar de fevereiro de 2020 e 2,4% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em fevereiro de 2014.


🔥 Recomendado para voçê 🔥