Internacional

Milagrosamente, ninguém estava ao lado de porta que explodiu no voo, diz autoridade dos EUA


Milagrosamente, ninguém estava ao lado de porta que explodiu no voo, diz autoridade dos EUA
(Foto Reprodução da Internet)

Investigadores federais dos Estados Unidos estão procurando partes da fuselagem de um avião da Alaska Airlines que explodiu no meio do voo nesta sexta-feira (5).

Autoridades investigam o que levou ao terrível incidente que resultou na suspensão das operações em todo o país de algumas aeronaves Boeing 737 MAX 9 e em uma série de cancelamentos de voos.

Continua depois da publicidade

Em conversa com jornalistas neste sábado (6), a presidente do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB, na sigla em inglês), Jennifer Homendy, pediu a ajuda da população para localizar a “porta de encaixe” e outros componentes da aeronave que caíram durante o voo.

“Acreditamos, com base nos dados do radar, que a porta está perto da Barnes Road, perto da I-217, no bairro de Cedar Hills. Se você a encontrar, por favor, entre em contato com as autoridades locais”, disse Homendy.

Continua depois da publicidade

O buraco do tamanho de uma geladeira que abriu repentinamente na aeronave que transportava 177 pessoas de Portland, Oregon, para Ontário, Califórnia, causou pânico em todo o avião enquanto a cabine despressurizava, máscaras de oxigênio caiam e os passageiros gritavam e mandavam mensagens de texto para se despedir.

O avião pousou em segurança, sem relatos de ferimentos graves, disseram as autoridades.

“Temos muita, muita sorte aqui por isso não ter terminado em algo mais trágico”, disse Homendy.

O incidente fez Administração Federal de Aviação (FAA) suspender temporariamente algumas aeronaves Boeing 737 MAX 9 até que fossem cuidadosamente inspecionadas.

A Boeing enfrentou uma série de contratempos nos últimos anos, principalmente a paralisação em dezenas de países em 2019, após dois trágicos acidentes.

A Alaska Airlines disse no sábado à noite que as inspeções de emergência em sua frota de aviões Boeing 737 MAX 9 “levarão mais tempo”, alertando que as interrupções nos voos provavelmente continuarão.

A companhia aérea disse que cancelou 160 voos — afetando cerca de 23 mil viajantes — na tarde de sábado, e mais cancelamentos podem ocorrer neste domingo.

“Estamos identificando os cancelamentos necessários para amanhã e esperamos que a interrupção dure pelo menos até o meio da semana”, disse a companhia aérea no comunicado.

A United Airlines disse que também suspendeu as operações de todas as suas aeronaves Boeing 737 MAX 9 e “trabalhando com a FAA para esclarecer o processo de inspeção e os requisitos para retornar todas as aeronaves MAX 9 ao serviço”.

A United disse que tem 79 aeronaves desse modelo em sua frota.

Investigadores começaram a investigar os registos de manutenção do avião da Alaska, entre outros componentes, à medida que apuram o acidente.

Encostos de cabeça dos assentos foram arrancados

O voo 1282 da Alaska Airlines atingiu 16 mil pés depois de decolar de Portland quando o caos aconteceu. O avião ficou no ar por cerca de 20 minutos, de acordo com a FlightAware.

Com um estrondo, o tampão da fuselagem — que parece aos passageiros o típico interior de um jato comercial — explodiu do avião, sugando itens da aeronave, de acordo com vídeos e relatos de passageiros.

Milagrosamente, ninguém estava sentado no 26A e no 26B, os dois assentos do avião bem ao lado da porta que explodiu, disse Homendy no sábado à noite.

A parte de trás do assento 26A desapareceu completamente, assim como os encostos de cabeça dos assentos 25A e 26A, disse Homendy. Roupas também estavam espalhadas pelo local.

“Poderíamos ter terminado com algo muito mais trágico e temos muita sorte que isso não tenha acontecido”, acrescentou Homendy.

O que também evitou um resultado mais desastroso foi que o incidente aconteceu antes de o avião atingir a altitude de cruzeiro, quando os passageiros normalmente começam a desafivelar os cintos e a andar pela aeronave, disse Homendy.

Mesmo assim, o incidente espalhou o pânico no avião.

O passageiro Nick Hoch, de 33 anos, descreveu ter ouvido um “estrondo” antes de o avião “sacudir”.

“Nossas máscaras de oxigênio caíram e as colocamos imediatamente, mas foi uma experiência desorientadora”, disse Hoch no sábado.

Hoch disse que estava sentado no lado esquerdo do avião, algumas fileiras à frente de onde o painel explodiu e “uma névoa ou nuvem passou por mim e me atingiu no rosto”.

“Havia pessoas muito mais próximas com quem conversei que perderam AirPods dos ouvidos”, disse ele.

Vários passageiros a bordo do avião necessitaram de cuidados médicos devido a ferimentos, e todos “já foram liberados pelos médicos”, disse a Alaska Airlines no comunicado de sábado à noite.

“Imagino que este foi um evento bastante assustador”, disse Homendy. “Não falamos frequentemente sobre danos psicológicos, mas tenho certeza de que isso ocorreu aqui.”

A Alaska Airlines disse que estava trabalhando com a Boeing para entender o que aconteceu no voo 1282.

O Boeing 737 MAX 9 envolvido no incidente está em serviço há aproximadamente três meses e voou cerca de 150 vezes desde outubro de 2023, de acordo com o site de rastreamento de voos FlightAware e registros da FAA.

A Alaska Airlines disse que inspecionou 18 aviões Boeing 737 MAX 9 de sua frota no sábado e os devolveu ao serviço, mas horas depois reverteu o decisão e disse que essas aeronaves seriam removidas “até que detalhes sobre possíveis trabalhos de manutenção adicionais sejam confirmados com a FAA. ”

Textos finais para entes queridos

Stephanie King disse que estava sentada no corredor da fila 12 do voo da Alaska Airlines quando ouviu um forte barulho vento.

“Eu simplesmente sabia que algo ruim havia acontecido”, disse.

King disse que os comissários de bordo faziam anúncios, mas como o avião estava aberto, o barulho era muito alto para ela ouvir o que estava sendo dito.

Vários passageiros mais próximos do buraco no avião ficaram agitados e foram para assentos vazios, longe do incidente, disse King.

“Uma das senhoras estava gritando e chorando. Ela estava inconsolável. Ela ficava dizendo: ‘Meu filho! Meu filho! Ele teve a camisa arrancada! ?”, Disse King. “Foi absolutamente surreal.”

Temendo por sua segurança, King pegou seu telefone para gravar vídeos e redigir mensagens de texto finais para seus entes queridos.

“Escrevi algumas mensagens de texto para meu namorado e minha mãe para dizer que algo estava acontecendo, que eu estava com medo e que os amo”, disse ela.

King disse que embora parecesse “uma eternidade”, o avião pousou com segurança menos de 10 minutos após o incidente.

“Foi então muito calmo. Todo mundo ficou em choque… Foi estranho”, disse ela.

Jatos 737 MAX da Boeing tiveram problemas anteriores

Depois que a FAA ordenou a suspensão temporária das aeronaves devido ao incidente da Alaska Airlines, a Boeing disse que apoia a decisão.

“A segurança é a nossa principal prioridade e lamentamos profundamente o impacto que este evento teve sobre os nossos clientes e seus passageiros”, afirmou a Boeing em comunicado.

“Concordamos e apoiamos totalmente a decisão da FAA de exigir inspeções imediatas dos aviões 737-9 com a mesma configuração do avião afetado.”

A última suspensão ocorre após uma série de contratempos para a gigante da aviação.

No mês passado, a Boeing pediu às companhias aéreas que inspecionassem todos os seus jatos 737 MAX em busca de um possível parafuso solto no sistema de leme, depois que uma companhia aérea descobriu um potencial problema com uma peça em duas aeronaves.

Os problemas de engenharia e qualidade da Boeing representaram grandes desafios para a empresa. As quedas de dois dos jatos 737-8 MAX, que mataram todas as 346 pessoas a bordo nos voos, levaram ao paralisante encalhe do avião por 20 meses.

O Max voltou ao ar transportando passageiros na maioria dos mercados ao redor do mundo a partir do final de dezembro de 2020. Mas encontrou outros problemas, inclusive em abril, quando a Boeing disse que descobriu um problema de fabricação com algumas aeronaves 737 MAX depois que um fornecedor usou um “processo de fabricação não padronizado” durante a instalação de dois acessórios na fuselagem traseira — embora a Boeing insistisse que o problema não constituía um risco à segurança.


🔥 Recomendado para voçê 🔥