Brasil

O chefe da PF acusa o embaixador de Israel de desvio de conduta


O chefe da PF acusa o embaixador de Israel de desvio de conduta
(Foto Reprodução da Internet)

O chefe da Polícia Federal, Andrei Passos, critico nesta quinta-feira (9/11) as palavras do embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine. Ele considerou a fala depreciativa e desrespeitosa. Zonshine comentou que se grupos extremistas como o Hezbollah estão mirando o Brasil, é porque existem pessoas dispostas a se radicalizarem. Isso ocorreu após a Policia Federal realizar uma operação e prender brasileiros recrutados pelo grupo.

Segundo Passos, temos parcerias policiais com mais de cem países e nunca houve comentários negativos como esses antes. Ele também expressou preocupação com possíveis consequências em nossas próximas ações. A operação da PF contou com informações fornecidas pelo governo de Israel.

Continua depois da publicidade

Mais tarde, o ministro da Justiça Flávio Dino também comentou a declaração do embaixador de Israel e disse que o caso é conduzido pelo Itamaraty, mas salientou que é preciso ter sobriedade e respeito às autoridades brasileiras.

As milícias xiitas seguram a bandeira do Hezbollah depois que as forças iraquianas entraram na cidade de Amirli, no norte. A cidade estava sob cerco de militantes do Estado Islâmico por mais de dois meses em Saladino, Iraque, em 31 de agosto de 2014.

Continua depois da publicidade

Hassan Nasrallah, líder do Hezbollah, discursou durante um evento no Dia da Ashura em Beirute, Líbano, em 24 de outubro de 2015.

Um exercício militar ocorreu próximo à fronteira de Israel, nas proximidades de Nabatieh, no Líbano, em 21 de maio de 2023.

O Hezbollah, grupo do Líbano, está fazendo ataques do outro lado da fronteira com Israel em um exercício militar em Aaramta, no dia 21 de maio de 2023. Essa data marca o aniversário da retirada de Israel do sul do Líbano em 2000.

A Polícia Federal prendeu brasileiros suspeitos de querer atacar prédios comunitários judaicos no Brasil, em uma operação realizada em São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. Israel colaborou compartilhando informações com o governo brasileiro.

As pessoas que são selecionadas para trabalhar em recrutamento e aquelas que estão sendo contratadas podem ser responsabilizadas por cometer crimes relacionados a organizações terroristas e atividades preparatórias para o terrorismo. Se condenados, eles podem pegar até 15 anos e 6 meses de prisão.

Os crimes previstos na Lei de Terrorismo são equiparados a hediondos, considerados inafiançáveis, insuscetíveis de graça, anistia ou indulto.

Durante uma operação da Polícia Federal, o embaixador de Israel visita a Câmara.

Na quarta-feira (8/11), Zonshine teve uma reunião com Jair Bolsonaro (ex-presidente, PL) e outros parlamentares na Câmara dos Deputados. Durante o encontro, foram exibidos vídeos mostrando os ataques do grupo extremista Hamas contra Israel, na guerra que começou novamente em 7 de outubro.

A reunião foi informada, em cima da hora, para os deputados pelo colega Gustavo Gayer (PL-GO), em um grupo de WhatsApp.


🔥 Recomendado para voçê 🔥