Internacional

O governo de Milei pode remover a assistência social de quem participa nos protestos


O governo de Milei pode remover a assistência social de quem participa nos protestos
(Foto Reprodução da Internet)

Na Argentina, o governo de Javier Milei disse que pode suspender a assistência social para pessoas que participarem dos protestos planejados para esta quarta-feira (20).

O comunicado na TV foi feito hoje pela ministra Sandra Pettovello sobre o anúncio.

Pettovello disse que “todos aqueles que tenham promovido, instigado, organizado ou participado dos atos vão perder qualquer tipo de diálogo com o Ministério de Capital Humano”.

A ministra disse que, embora seja permitido que as pessoas protestem, também é importante que elas consigam ir ao trabalho.

“Quem bloqueia, não recebe”, disse Pettovello citando uma frase que o presidente argentino Javier Milei disse anteriormente.

Pettovello fez um apelo às mães e pediu para que as mulheres não exponham seus filhos ao “calor e violência dos atos”.

A ministra da Argentina prometeu aumentar em 50% o valor do cartão alimentar e também afirmou que dobrará o benefício universal por filho.

De acordo com o jornal La Nacion, vai ocorrer uma manifestação na quarta-feira (19) em memória às vítimas dos protestos de 2001. Nesse período, a Argentina enfrentava uma grave crise econômica e os cidadãos saíram às ruas de Buenos Aires. Pelo menos 39 pessoas foram mortas devido à ação policial.

Sanções contra manifestantes

O governo de Javier Milei anunciou na semana passada que irá punir quem bloquear ruas para protestar na Argentina. Essa medida faz parte de um protocolo para manter a ordem pública.

Segundo o porta-voz presidencial Manuel Ardoni, haverá punições rigorosas para quem impedir os argentinos de circular.

Isso incluirá as pessoas que bloquearem as vias, levarem as pessoas até lá, e também os organizadores e financiadores dos movimentos.


🔥 Recomendado para voçê 🔥