Esportes

O presidente argentino é insultado durante eleições do Boca Juniors


O presidente argentino é insultado durante eleições do Boca Juniors
(Foto Reprodução da Internet)

Sócio do Boca Juniors, o atual presidente da Argentina, Javier Milei, foi xingado por torcedores ao chegar para a votação das eleições presidenciais do clube, que acontecem neste domingo (17), em Buenos Aires.

“Ladrão!” foi um dos xingamentos que Milei ouviu de pessoas presentes na Bombonera, além de reclamações sobre as nomeações para os ministérios. Um torcedor do Boca gritou: “Você escolheu a dedo todos eles!”

Apoiador de Javier Milei nas eleições presidenciais da Argentina, Mauricio Macri, candidato à presidência do Boca Juniors e ex-presidente da Argentina, lamentou o episódio.

“Que vergonha ver imagens de senhores que se dizem torcedores do Boca, quando na realidade são tremendamente mal-educados e não espotâneos, insultando o presidente da República em vez de festejar que ele vá votar pelo futuro do nosso querido clube. O que vimos, lamentavelmente, é o que vem passando com o Boca há quatro ano. Espero pelo futuro de nosso clube que isso termine hoje e mude de uma vez”, publicou Macri nas redes sociais.

Macri foi presidente do Boca no fim da década de 1990 e início dos anos 2000 e tenta voltar ao comando do clube. No pleito, ele enfrenta um antigo desafeto, o ídolo Juan Román Riquelme.

Milei mudou de time, agora torce para o River em vez do Boca

Torcedor do Boca Juniors desde a infância, Javier Milei já confessou ter trocado o clube do coração pelo maior rival, o River Plate, declaração que não repercutiu bem entre boa parcela da torcida xeneize.

Em uma entrevista ao jornal espanhol El País, Milei contou que aos poucos se afastou do Boca, time pelo qual sempre torceu. Segundo ele, não gostou da volta de Riquelme ao clube em 2013. Cinco anos depois, quando o Boca perdeu a final da Libertadores para o River Plate, Milei torceu contra o próprio time.

“Estava assistindo ao jogo e quando Gago entrou, percebi que foi uma decisão populista. Por isso, decidi torcer para o River. Não gosto de times que tomam decisões populistas, principalmente quando já vivemos em um país com esse tipo de comportamento. Na minha opinião, Gago foi um péssimo jogador e uma das maiores decepções no futebol argentino. Por isso, acabei me tornando anti-Boca.”, contou ao jornal.


🔥 Recomendado para voçê 🔥