Internacional

O Primeiro-ministro português renuncia por escândalo de corrupção


O Primeiro-ministro português renuncia por escândalo de corrupção
(Foto Reprodução da Internet)

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, apresentou sua renúncia após um escândalo que investiga suspeitas de corrupção ligadas à exploração de lítio e hidrogênio verde, segundo informou.

Costa anunciou a decisão em um vídeo na televisão após falar com o presidente Marcelo Rebelo de Sousa sobre a demissão. Ele disse que está disposto a cooperar com a Justiça.

Continua depois da publicidade

“A dignidade das funções de primeiro-ministro não é compatível com qualquer suspeita sobre a sua integridade, a sua boa conduta e muito menos com a suspeita da prática de qualquer ato criminoso”, afirmou o premiê aos jornalistas.

O líder do Partido Socialista, Costa, que tinha apoio da maioria no Parlamento, afirmou que está com tranquilidade de espírito, mas não pretende concorrer novamente ao cargo de primeiro-ministro.

Continua depois da publicidade

Vários edifícios governamentais foram alvo de busca e apreensão nesta terça-feira (7), incluindo a residência oficial do primeiro-ministro, o Ministério do Meio Ambiente e a casa do ministro das Infraestruturas, João Galamba.

Galamba e Nuno Lacasta, presidente da agência ambiental APA, são suspeitos e precisarão responder legalmente pelo caso nos tribunais.

O gabinete de Galamba e a APA não responderam imediatamente a um pedido de comentários.

Conforme o Ministério Público confirmou em note, cinco pessoas foram detidas no âmbito da investigação. Uma delas seria Vitor Escaria, chefe de gabinete do primeiro-ministro. O consultor empresarial Diogo Lacerda Machado, amigo de Costa, também teria sido preso.

O gabinete de Costa confirmou buscas nas instalações de Escaria, mas recusou mais comentários. Machado ainda não comentou publicamente e a Reuters não conseguiu contatá-lo imediatamente para comentar.

Entenda o caso

O Ministério Público de Portugal investiga um escândalo de corrupção e tráfico de influência em concessões de exploração de lítio no norte do país, um projeto para a criação de uma central de hidrogênio no porto de Sines e o investimento em um data center na região.

A suspeita é de que tenham sido cometidos crimes de prevaricação, corrupção ativa e passiva de políticos e tráfico de influência, afirmou o MP português em nota.

Durante a investigação, os procuradores afirmaram em comunicado que descobriram que os suspeitos usaram o nome e a autoridade de Costa para facilitar procedimentos relacionados aos negócios. Eles também mencionaram que o Supremo Tribunal analisará o possível envolvimento de Costa nos negócios.

Este é o mais novo problema que o Costa vem enfrentando desde a polêmica envolvendo a empresa aérea TAP, em janeiro.

Com 60.000 toneladas de reservas conhecidas, Portugal já é o maior produtor europeu de lítio, embora só agora os mineiros estejam se preparando para produzir lítio de qualidade superior, utilizado em carros elétricos e para alimentar aparelhos eletrônicos.


🔥 Recomendado para voçê 🔥