Brasil

Policiais estão feridos e seis ônibus foram queimados após confusão pelo rebaixamento do Santos


Policiais estão feridos e seis ônibus foram queimados após confusão pelo rebaixamento do Santos
(Foto Reprodução da Internet)

Terminou com 11 policiais feridos e seis ônibus e quatro carros incendiados a confusão que tomou conta do entorno da Vila Belmiro, no litoral de São Paulo, após o rebaixamento do Santos, clube que dá nome à cidade, na noite desta quarta-feira (6). A torcida do Alvinegro Praiano reagiu com violência após a derrota, que culminou na queda do clube para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), a Polícia Militar foi acionada para conter atos de vandalismo de torcedores revoltados com o resultado da partida. A confusão começou ainda dentro do estádio, com um conflito entre a PM e membros da torcida organizada do Peixe, que arremessaram garrafas, pedras e fogos de artifício. A cavalaria reagiu com bombas de efeito moral e gás de pimenta, que chegaram a gerar efeito até mesmo nos jogadores do Santos.

Na saída da Vila, os torcedores queimaram carros estacionados perto do estádio. Um dos carros queimados pertence ao jogador Steven Mendoza, do Santos.

A Prefeitura de Santos informou que, além dos seis ônibus da frota da cidade que foram incendiados, outros quatro foram danificados. Além disso, quatro linhas de ônibus de outras cidades foram prejudicadas e oito carros que estavam na região foram vandalizados. A prefeitura está substituindo os ônibus afetados por veículos reservas para não causar problemas para a população.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a UPA Central da cidade realizou o atendimento de dez pessoas que estavam nas imediações da Vila Belmiro, mas não houve registro de nenhum caso grave. Todos foram liberados após receber assistência na unidade de saúde, que fica próxima do estádio.

A Polícia Militar é responsável pela segurança nos arredores dos estádios de futebol durante os jogos, incluindo os bloqueios de trânsito. A Secretaria de Segurança de Santos oferecerá apoio na investigação, utilizando o videomonitoramento do Centro de Controle Operacional (CCO) do Município.

De acordo com a SSP, ninguém foi preso e o incidente na Central de Polícia Judiciária de Santos foi registrado como dano, lesão corporal e incêndio. A perícia foi solicitada tanto ao local quanto aos veículos envolvidos.

O delegado Rubens Barazal, titular da Delegacia Seccional de Santos, informou que instaurou inquérito para a completa apuração e identificação de envolvidos.


🔥 Recomendado para voçê 🔥