Internacional

Segundo a ONU, 2023 teve a maior taxa de mortalidades mana Cisbjordâiba desde 2005


Segundo a ONU, 2023 teve a maior taxa de mortalidades mana Cisbjordâiba desde 2005
(Foto Reprodução da Internet)

O ano de 2023 foi o mais mortal para os palestinos na Cisjordânia ocupada desde 2005, quando o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) começou a fazer registros, de acordo com um relatório da organização.

Segundo o OCHA, de janeiro a dezembro de 2023, 477 palestinos foram mortos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. Mais da metade das mortes ocorreram a partir de 7 de outubro.

Segundo a organização, a maioria das mortes de palestinos na Cisjordânia desde 7 de outubro aconteceram durante operações das forças israelenses para busca e prisão.

Segundo um relatório, desde 7 de outubro, na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, foram registradas 278 mortes de palestinos, entre eles 70 crianças. Dessas mortes, 268 foram responsabilidade das forças israelenses, oito foram causadas por colonos israelenses e duas por forças ou colonos desconhecidos.

O OCHA notou um aumento nos ataques de colonos contra palestinos na Cisjordânia após os ataques do Hamas em 7 de outubro. Desde aquele dia, a média semanal de incidentes subiu para 35, enquanto de 1° de janeiro a 6 de outubro de 2023 era de 21 por semana.

Uma equipa testemunhou esta semana como os colonos e os militares israelenses estão trabalhando juntos e a criar uma cultura de medo entre as famílias palestinas na Cisjordânia, apesar dos apelos do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para que Israel sancione os “colonos extremistas”.

Para além da escalada das tensões, as medidas de segurança também foram reforçadas na Cisjordânia desde 7 de outubro, após o que Israel começou a restringir severamente a liberdade de circulação dos residentes palestinos.


🔥 Recomendado para voçê 🔥