Internacional

Um casal britânico que morreu num hotel do Egito em 2018 sofreu intoxicação por inseticida


Um casal britânico que morreu num hotel do Egito em 2018 sofreu intoxicação por inseticida
(Foto Reprodução da Internet)

Um casal britânico morreu intoxicado por monóxido de carbono enquanto estava de férias em um resort de luxo no Egito, depois que o quarto ao lado foi pulverizado com inseticida para matar percevejos, descobriu uma legista.

John e Susan Cooper estavam em um hotel chamado Steigenberger Aqua Magic, localizado em Hurghada, um resort no Mar Vermelho, em agosto de 2018. Durante a estadia deles, foi relatado que um quarto próximo ao deles foi tratado com um pesticida chamado “Lambda” para combater uma infestação de insetos. Essa informação foi divulgada pela agência de notícias PA Media.

Em alguns países, dilui-se o Lambda com diclorometano para que o corpo metabolize ou ingira monóxido de carbono.

O quarto nebulizada foi lacrado com fita adesiva ao redor da porta e estava conectado ao quarto do casal por uma porta contígua, segundo a PA.

O casal voltou para o quarto para passar a noite, mas foi encontrado em estado grave no dia seguinte pela filha. John Cooper, 69 anos, foi declarado morto no quarto, enquanto sua esposa Susan, 63 anos, morreu horas depois no hospital.

James Adelely, legista sênior do condado inglês de Lancashire, determinou que as mortes foram causadas por envenenamento por monóxido de carbono como resultado da inalação do vapor da pulverização do inseticida que continha diclorometano, informou a PA.

“Até hoje, nossa família luta para compreender o que aconteceu”, disse a filha do casal, Kelly Ormerod, que estava de férias com os pais na época. “Isso nunca deveria ter sido permitido acontecer”.

Ela também disse que nada pode apagar a dor e a tristeza que sentimos desde aquele dia. Acrescentou que os últimos anos têm sido muito difíceis e emocionalmente desgastantes para todos nós que estamos envolvidos nessa situação.


🔥 Recomendado para voçê 🔥